Sexta-feira, Dezembro 2, 2022

Portugal-UK 650: Comemorações dos 650 anos da aliança luso-britânica

Maria João Rodrigues de Araújo, Presidente de Portugal-UK 650 e Fellow na Faculdade de Música da Universidade de Oxford

Em 2022 e 2023 celebram-se os 650 anos da Aliança Luso-Britânica, a mais antiga aliança diplomática do mundo em vigor. O início da formalização da Aliança, baseada na amizade perpétua entre as duas nações, ocorreu com a assinatura do Tratado de Tagilde a 10 de julho de 1372 (no município de Vizela, distrito de Braga) e a sua concretização com a assinatura do “Tratado de Paz, Amizade e Aliança”, a 16 de junho 1373, em Londres. Esta Aliança foi, posteriormente, reforçada pelo tratado de Windsor de 1386 e por outros tratados ao longo da história.

Portugal-UK 650 é a iniciativa responsável pelas comemorações dos 650 anos da Aliança Luso-Britânica em Portugal e no Reino Unido. Portugal-UK 650 engloba mais de 100 instituições parceiras, e conta com o apoio institucional das autoridades civis, militares e religiosas de ambos os países. O lançamento de Portugal-UK 650 decorreu no Palácio de São James em Londres, com um evento na Queen’s Chapel, que foi a Capela privada da Rainha D. Catarina de Bragança, esposa do rei Charles II do Reino Unido.

Este evento, com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa, foi oficializado pelo Sub-Dean da Capela Real de Sua Majestade e contou com a presença de autoridades dos dois países.

Portugal-UK 650 pretende celebrar e dar a conhecer a história comum, escrever novos capítulos de amizade, cooperação e comércio, desenvolver investigação científica sobre a Aliança, e promover os valores do Tratado fundacional da Aliança no mundo atual – paz, amizade, verdade, fidelidade, constância, solidariedade, sinceridade e amabilidade – “… haverá daqui em diante uma verdadeira, fiel, constante, mútua e perpétua paz e amizade, união e aliança e liga de sincero afeto” (Artigo I, Tratado da Aliança, Londres 16 junho 1373) – apelando à responsabilidade e compromisso de cada um.

Para além da celebração das datas de maior importância – os 650 anos do Tratado de Tagilde (10 de julho de 2022) e do Tratado de Londres (16 de junho de 2023) – engloba outras iniciativas, até 2023, em parceria com mais de 100 instituições portuguesas e britânicas, no âmbito da investigação, educação, cultura, comércio, de cooperação e sociais.

O programa de atividades, que pode ser consultado no site https://portugal-uk650.com, é vasto, variado, inclusivo, com atividades para todas a idades e é descentralizado com eventos distribuídos por 30 localidades de Portugal e do Reino Unido, tendo já sido realizadas, à data, mais de 50 atividades.

O apogeu das comemorações para este ano são os 650 anos do Tratado de Tagilde que se comemoram a 10 de julho de 2022. Iniciam-se com o Congresso interdisciplinar “A Aliança Luso-britânica: Balanço do passado e perspectivas de futuro” que decorrerá na Universidade do Minho, em Braga, de 6 a 9 de julho. O Congresso é organizado em parceria com o Jusgov e a Escola de Direito da Universidade do Minho, tendo como instituições parceiras a Universidade de Oxford, a Universidade de Coimbra (CHS), a Universidade de Évora (CICP), a Universidade Católica (IEP) e a Universidade de Lisboa (Iuris). O evento tem entrada gratuita e conta com oradores de vários países dos continentes europeu e americano, tendo já sido realizado um ciclo de ‘webinars’ preparatórios sobre os principais temas da conferência.

No dia 9 de julho será exibido, ao ar livre, o espetáculo do projeto “Dança na Perpetuidade” concebido pelo English National Ballet. Um projeto baseado nos valores do Tratado Luso-Britânico, que decorre em ambos os países, envolvendo a comunidade, doze escolas de dança e vários artistas. Na noite desse mesmo dia, terá lugar uma Gala no Theatro Circo com atuação do English National Ballet. No dia seguinte, dia 10 de julho, haverá uma Missa na Sé Catedral de Braga cantada pelo Coro do Queen’s College da Universidade de Oxford; uma recreação da assinatura do Tratado em Tagilde, e um concerto em Vizela, na Praça da República. Em Vizela terão ainda lugar dois torneios medievais de Justa, com participação de “cavaleiros” britânicos. Estes eventos são abertos ao público em geral.

Para além destas atividades salienta-se na área da investigação, o projeto “A Aliança Luso-Britânica: balanço do passado e perspetivas de futuro” que envolve 19 investigadores de sete universidades portuguesas e britânicas. Na área cultural, os projetos de colaboração envolvendo intuições tais como o Barbican Centre e o Guidhall School of Music and Drama e os concursos de curtas-metragens, poesia e desenho. Na área da educação, os 32 recursos educativos bilingues, que podem ser descarregados pelo ‘website’ e que já estão a ser usados por milhares de crianças e jovens portugueses e britânicos. O British Council criou 16 recursos educativos para alunos desde a pré-primária até ao secundário e o Jubilee Centre for Character and Virtue da Universidade de Birmingham criou 16 recursos educativos sobre os valores do Tratado, nomeadamente, sobre a Amizade. Nas edições comemorativas os destaques são o prato “Aliança 650”, criado pela Vista Alegre e o postal da República dos CTT que inclui imagens do manuscrito e selo do tratado de Tagilde.

Convido todos os leitores a participarem nestas celebrações e aconselho a seguirem as redes sociais para estarem a par de todas as novidades:

facebook @PT.UK.650 e instagram @portugal_uk650

O meu desejo é que ao celebrarmos os 650 anos “de perpétua paz, amizade e aliança” entre os dois países, não só sejamos um exemplo e referência para outras nações, mas também que cada participante se sinta inspirado a ser embaixador dos valores que estão na base desta Aliança, promovendo uma cultura de paz e amizade na sua comunidade e no mundo inteiro, tão necessitado de paz, neste momento.

(Texto escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico)

Partilhe este artigo:

- Advertisement -
- Advertisement -

Artigos recentes | Recent articles

Fundação Louis Vuitton: Um local onde a Arte e a Cultura estão na “moda”

Visitar a Fundação Louis Vuitton (FLV) é uma experiência inesquecível para quem gosta de arte e arquitectura e, sobretudo, para quem procura fazer um passeio diferente por Paris, fora dos pontos turísticos mais tradicionais. Um museu de arte e centro cultural patrocinado pelo grupo LVMH, a holding francesa especializada em artigos de luxo.

Um Brasil dividido nas urnas e na ideologia

Bruno Rosa, Correspondente PRÉMIO no Brasil

Momo. O museu na Lousã onde o circo deixou de ser itinerante para afirmar a sua história

Circo
Nos arredores da vila da Lousã, na antiga escola primária da Foz do Arouce, nasceu, em 2019, o Momo. Este museu do circo é o concretizar do sonho de um palhaço alemão, que se apaixonou por aquela região, e que, ao lado de uma atriz portuguesa, criou um espaço de vida e memória que procura dignificar as artes circenses – um património, para Detlef Schaff e Eva Cabral, muitas vezes, marginalizado. Palhaços, ilusionistas, malabaristas… aqui só não se recordam “os homens cinzentos.”

“O contacto com os artistas enriquece-me”

Fernando Figueiredo Ribeiro
Na passada década, aquilo que começou com um encanto inesperado saiu da esfera privada para dar origem à Colecção Figueiredo Ribeiro. São cerca de 2800 obras, representativas dos últimos 50 anos, que encontraram olhar público no Quartel da Arte Contemporânea de Abrantes.

O meu Fado

Joana Mortágua, Deputada do BE

Mais na Prémio

More at Prémio

- Advertisement -