Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Grupo Visabeira em linha com o futuro

Nuno Marques, Presidente do Conselho de Administração Executivo do Grupo Visabeira

Começo por traçar o perfil da empresa para quem nos conhece de forma menos evidente, certamente pela nossa cultura ‘low profile’. O Grupo Visabeira agrega mais de cem empresas, com presença em 16 países e produtos e serviços em mais de uma centena de nações. O Grupo Visabeira está dividido em três sub-holdings: Visabeira Global, com atividades nas áreas de telecomunicações, energia, tecnologias e construção; Visabeira Indústria, com atividades na cerâmica e cristalaria, fabrico de cozinhas, transformação de recursos naturais e fabrico de equipamentos de proteção individual; Visabeira Turismo, Imobiliária e Serviços, com negócios em hotelaria e imobiliário. Para dar corpo a todas estas atividades, o Grupo Visabeira conta com mais de 12.000 colaboradores, de diferentes nacionalidades, distribuídos pelos diversos países onde está presente.

Num momento em que esperamos estar a ultrapassar um ciclo económico e social, marcado indubitavelmente pela crise sanitária, contamos fortalecer o crescimento do Grupo, convergindo em fatores distintivos como a inovação, a digitalização e a internacionalização. Nos últimos anos, o Grupo Visabeira desenvolveu ferramentas de gestão e rotinas associadas na maioria dos negócios, com vista a uma adesão plena a processos de digitalização avançados. As competências que conseguimos desenvolver, desmaterializando muitos processos e tarefas, contribui para superarmos este período difícil sem sobressaltos brutais na organização.

Para além de Angola e Moçambique, onde, desde o século passado, protagonizamos através da TV Cabo Angola e TV Cabo Moçambique projetos pioneiros em África, temos vindo a concentrar a nível europeu o foco de crescimento nos serviços de engenharia de rede de telecomunicações e energia.

O continente europeu, representa já 87% do volume de negócios do Grupo Visabeira, onde, para além de Portugal, marca presença em França, Bélgica, Alemanha, Dinamarca, Reino Unido, Espanha e Itália, nomeadamente na sua atividade ‘core’, os serviços de engenharia de rede de telecomunicações e energia, que continua a ser a sua área de negócio com maior crescimento.

O crescimento, e a dinâmica empresarial naqueles países, foi predominantemente orgânico embora tenhamos procedido à aquisição por parte da Constructel Visabeira de empresas em alguns dos países, reforçando competências e recursos técnicos e otimizando sinergias. Esta política de aquisições, articulada com a operação da Constructel Visabeira nestes territórios, fazem da Constructel um dos maiores, mais respeitados e conceituados prestadores de serviços de engenharias de redes de telecomunicações e energia europeus da atualidade.

Na indústria cerâmica e de cristalaria, os resultados dos últimos meses do grupo Vista Alegre apontam para uma recuperação progressiva, fruto da dinâmica empresarial e da resiliência da companhia. Em linha com esta recuperação, a Vista Alegre tem assegurados novos e importantes contratos de fornecimento para o segundo semestre 2021. Estes contratos acrescem à existente e dinâmica carteira de encomendas da sua vasta rede de distribuição que tem evidenciado significativa atividade. Atualmente, a Vista Alegre vende para mais de 70 países e o mercado externo representa cerca de 80% do negócio.

Para a recuperação da marca, que ocorreu nos últimos anos, contribuiu uma combinação de fatores: o reposicionamento da marca, a aposta decisiva na estratégia de produto, a aposta na comunicação (principalmente Online e RP), a atualização e o investimento na capacidade produtiva e a internacionalização. O fator chave foi, sem dúvida, a colocação do consumidor no centro da organização, para o qual se definiu uma intensa política de desenvolvimento de novos produtos. Em simultâneo, passou a comunicar-se esses produtos e dá-los a conhecer ao grande público em Portugal e no estrangeiro por via das feiras, filiais da marca e fortalecimento da comunicação. Em paralelo, foi definida uma estratégia de valorização da marca junto do consumidor, que passou a olhá-la como marca de prestígio e luxo.

O setor do Turismo foi fortemente penalizado pelas restrições impostas pela pandemia, mas, neste momento, já temos sinais que apontam para uma recuperação que irá ocorrer no segundo semestre de 2021 e de uma forma mais sustentável em 2022. Neste intervalo, as unidades hoteleiras da cadeia Montebelo Hotels & Resorts foram objeto de remodelações e intervenções no sentido de melhorarem as suas infraestruturas, dando resposta a algumas necessidades e à atualização de equipamentos. No ano de 2022 temos previsto a abertura de um hotel em Lisboa, na zona do Chiado, e um hotel com projeto do Arq. Souto Moura, num dos claustros do Mosteiro de Alcobaça.

Em resumo, a despeito das incertezas que caracterizaram este último período, o Grupo Visabeira está apostado em prosseguir com vigor no caminho da internacionalização e a subir na cadeia de valor, acrescentando serviços e inteligência. Estamos muito concentrados em dinamizar as áreas das energias renováveis, atentos à construção das novas redes de fibra ótica na maioria dos países europeus, aos investimentos na tecnologia 5G e às redes de energia inteligentes. Estamos em linha com o Futuro.

(Texto escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico)

Partilhe este artigo:

- Advertisement -
- Advertisement -

Artigos recentes | Recent articles

Tal&Qual: ponto final, parágrafo…

José Paulo Fernandes Fafe, Antigo jornalista, accionista maioritário da empresa proprietária do "Tal&Qual"

“Sem o esforço dos privados, o Estado Português não teria conseguido fazer frente à pandemia”

Em entrevista à PRÉMIO, José Germano de Sousa, patologista clínico e presidente do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, falou-nos do seu percurso enquanto médico, passando pelo cargo de Bastonário e do crescimento da sua rede de laboratórios, que se posicionam em termos de análises na área da patologia clínica como o principal ‘player’ nacional do sector, sendo actualmente responsáveis por cerca de 15 a 16% dos testes Covid que se realizam em Portugal.

“Honne to Tatemae”

Sónia Ito, Arqueóloga e Professora

Mais na Prémio

More at Prémio

- Advertisement -