Domingo, Agosto 1, 2021

Portugal e a sorte do melhor dos piores

Miguel Morgado

Selecção nacional terminou em 3º na fase de grupos. Em 2016, o posto deu o título europeu. Cinco anos depois, no Euro2020, a nº1 mundial e 100% vitoriosa da fase de grupos, a Bélgica aparece no caminho no mata-mata, a Itália mostra-se bela, a Espanha ainda não encantou, os Países-Baixos somam vitórias e golos, a Inglaterra tem encontro marcado com a Alemanha nos oitavos e a França corre como favorita.

O “melhor dos piores” resultou em campeão da Europa. Em 2016, Portugal terminou a fase de grupos em 3º classificado (três empates), seguiu para a fase dos jogos a eliminar integrado num alinhamento teoricamente mais fácil e terminaria no Parque dos Príncipes, em Paris, com a conquista do título de campeã europeia.
Cinco anos depois, no Euro 2020, Portugal volta a apanhar o comboio dos últimos. No “grupo da morte”, experimentou todos os resultados do totobola, vitória (Hungria), derrota (Alemanha) e empate (França), foi do Céu ao Inferno e tem encontro marcado com a Bélgica (domingo, às 20h00, em Sevilha). Os “Diabos Vermelhos”, nº1 do ‘ranking’ FIFA é, até à data, a par da Itália e Holanda, uma das selecções 100% vitoriosa.
A diferença, em relação há cinco anos, para além de ser o melhor dos terceiros lugares, é o tal alinhamento. Itália, França ou Espanha podem aparecer no caminho das pedras da equipa de Fernando Santos até Wembley, Londres, a 11 de Julho.
Nos oitavos de final, num encontro de favoritos, a Inglaterra de Hary Kayne dará as boas-vindas à Alemanha, em Wembley. Um ficará pelo caminho.
A Itália, após uma década de frustrações, aparece vestida de gala sob a batuta de Roberto Mancini. Mostra-se “bela”, é o onze mais atraente da competição. Soma 7 golos, a segunda nação mais concretizadora, a um da Holanda, rebatizada de Países-Baixos. E ainda não sofreu qualquer bola dentro das redes, porque lá bem no fundo, é a Itália.
A Espanha, dois empates e uma vitória de mão cheia, ainda não encantou. Os cinco tentos da “La Roja” no último jogo podem servir de catalisador a um país demasiado focado nos falhanços, em especial de Morata.
Duas notas finais dos 13 dias da prova na qual a França continua a ser apontada como a grande favorita à conquista. Ronaldo, atingiu o recorde de 20 jogos em Europeus e igualou o iraniano Ali Daei no melhor registo de golos marcados ao serviço das selecções, 109 golos. No Euro2020 leva 5 golos e é o melhor marcador da prova. E a Dinamarca, inspirada pela visita de Eriksen, saído do hospital, segue para o “mata-mata”.

Partilhe este artigo:

- Advertisement -
- Advertisement -

Artigos recentes | Recent articles

“Sem o esforço dos privados, o Estado Português não teria conseguido fazer frente à pandemia”

Em entrevista à PRÉMIO, José Germano de Sousa, patologista clínico e presidente do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, falou-nos do seu percurso enquanto médico, passando pelo cargo de Bastonário e do crescimento da sua rede de laboratórios, que se posicionam em termos de análises na área da patologia clínica como o principal ‘player’ nacional do sector, sendo actualmente responsáveis por cerca de 15 a 16% dos testes Covid que se realizam em Portugal.

“Honne to Tatemae”

Sónia Ito, Arqueóloga e Professora

A Corporate Governance no novo mundo multi-stakeholder: realidades e desafios

António Gomes Mota, Professor Catedrático da ISCTE Business School

Mais na Prémio

More at Prémio

- Advertisement -