Friday, September 24, 2021

Portugal e a sorte do melhor dos piores

Miguel Morgado

Selecção nacional terminou em 3º na fase de grupos. Em 2016, o posto deu o título europeu. Cinco anos depois, no Euro2020, a nº1 mundial e 100% vitoriosa da fase de grupos, a Bélgica aparece no caminho no mata-mata, a Itália mostra-se bela, a Espanha ainda não encantou, os Países-Baixos somam vitórias e golos, a Inglaterra tem encontro marcado com a Alemanha nos oitavos e a França corre como favorita.

O “melhor dos piores” resultou em campeão da Europa. Em 2016, Portugal terminou a fase de grupos em 3º classificado (três empates), seguiu para a fase dos jogos a eliminar integrado num alinhamento teoricamente mais fácil e terminaria no Parque dos Príncipes, em Paris, com a conquista do título de campeã europeia.
Cinco anos depois, no Euro 2020, Portugal volta a apanhar o comboio dos últimos. No “grupo da morte”, experimentou todos os resultados do totobola, vitória (Hungria), derrota (Alemanha) e empate (França), foi do Céu ao Inferno e tem encontro marcado com a Bélgica (domingo, às 20h00, em Sevilha). Os “Diabos Vermelhos”, nº1 do ‘ranking’ FIFA é, até à data, a par da Itália e Holanda, uma das selecções 100% vitoriosa.
A diferença, em relação há cinco anos, para além de ser o melhor dos terceiros lugares, é o tal alinhamento. Itália, França ou Espanha podem aparecer no caminho das pedras da equipa de Fernando Santos até Wembley, Londres, a 11 de Julho.
Nos oitavos de final, num encontro de favoritos, a Inglaterra de Hary Kayne dará as boas-vindas à Alemanha, em Wembley. Um ficará pelo caminho.
A Itália, após uma década de frustrações, aparece vestida de gala sob a batuta de Roberto Mancini. Mostra-se “bela”, é o onze mais atraente da competição. Soma 7 golos, a segunda nação mais concretizadora, a um da Holanda, rebatizada de Países-Baixos. E ainda não sofreu qualquer bola dentro das redes, porque lá bem no fundo, é a Itália.
A Espanha, dois empates e uma vitória de mão cheia, ainda não encantou. Os cinco tentos da “La Roja” no último jogo podem servir de catalisador a um país demasiado focado nos falhanços, em especial de Morata.
Duas notas finais dos 13 dias da prova na qual a França continua a ser apontada como a grande favorita à conquista. Ronaldo, atingiu o recorde de 20 jogos em Europeus e igualou o iraniano Ali Daei no melhor registo de golos marcados ao serviço das selecções, 109 golos. No Euro2020 leva 5 golos e é o melhor marcador da prova. E a Dinamarca, inspirada pela visita de Eriksen, saído do hospital, segue para o “mata-mata”.

Partilhe este artigo:

- Advertisement -
- Advertisement -

Artigos recentes | Recent articles

“Honne to Tatemae”

Sónia Ito, Archaeologist and Lecturer

More productivity, less stress

Erik Lassche, CEO Fullsix Portugal

Game changer?

Cristina Ramos, Communication Consultant

Mais na Prémio

More at Prémio

- Advertisement -