Sexta-feira, Setembro 24, 2021

Grupo Albión Colômbia

COLÔMBIA… UMA OPORTUNIDADE EM MATÉRIA DE COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA

A Comunicação Estratégica seguiu uma via diferente nos últimos anos. Tornou-se estrategicamente importante à escala global e é agora uma ferramenta indispensável para a sociedade e para as organizações dos nossos dias. Isto ficou bem patente nas grandes potências mundiais quando, há alguns anos, as grandes corporações e empresas na dianteira em termos de novos desenvolvimentos tecnológicos começaram a ver aí uma grande oportunidade, aproveitando ao máximo esta ferramenta. A comunicação, elemento essencial da vida humana, tornava-se instantânea graças às novas tecnologias.  Estes avanços afectaram os países em todo o mundo e transformaram as estratégias de comunicação de pessoas e empresas. A Colômbia, apesar de não associarmos imediatamente este país ao desenvolvimento de tecnologia, está na vanguarda desta tendência. Com o tempo, os colombianos adoptaram esta ferramenta e a tecnologia faz agora parte da vida do dia-a-dia do país a todos os níveis, do social ao profissional.

Nem todos veem obviamente a comunicação e tecnologia da mesma forma. Cada geração passou por este processo de uma forma diferente, usando a tecnologia de acordo com as suas necessidades. Por esse mesmo motivo ter uma equipa composta por pessoas de diferentes gerações representa uma vantagem competitiva para as empresas dos nossos dias, uma vez que permite o acesso a diferentes pontos de vista quanto à melhor forma de chegar ao público certo e quanto aos canais corretos a usar. Baby Boomers são as pessoas nascidas entre 1946 e 1964. Na maioria dos casos, na Colômbia, esta é a geração que está ao leme no mundo dos negócios. Esta geração assistiu em primeira mão à transformação da comunicação e da tecnologia. E adaptou-se no sentido de retirar o máximo da mesma e de ser mais eficiente em tudo o que faz. Comunicar com os diferentes actores é um elemento essencial no dia-a-dia do trabalho de um executivo. Na Colômbia estar bem “ligado” marca a diferença entre ser bem ou mal sucedido nas empresas. A revolução na comunicação foi absolutamente fundamental para as relações estratégicas.

Há alguns anos, a única forma que os executivos das empresas tinham de elogiar o trabalho de alguém ou de transmitir uma mensagem importante era enviando uma carta pelo correio ou entregando a mensagem pessoalmente. Mas, actualmente existe todo um leque de ferramentas disponíveis para optimizar as relações estratégicas, o que facilita enormemente esta tarefa. Podemos enviar uma mensagem por WhatsApp para gerar um impacto positivo na altura certa. Para mensagens mais formais existe o email, através do qual é possível chegar ao público certo a partir de qualquer dispositivo.

Para desenvolver relações estratégicas mais eficientes é vital saber com quem falar. Antigamente, um executivo tinha de fazer alguma pesquisa para descobrir quem ocupava um determinado posto e qual o seu percurso profissional, entre outras coisas. Os executivos podem entrar agora nas contas no LinkedIn ou no Facebook, bastando-lhes pressionar um botão para descobrirem imediatamente toda a informação de que precisam.

Geração X e Y são as pessoas nascidas entre 1964 e 1984. Esta geração está agora numa fase importante da sua vida e em que tudo está a acontecer: filhos, carreira profissional e uma vida social activa. Têm empregos importantes e não têm tempo para nada! Este estilo de vida ocupado levou-os a assumirem a transformação na comunicação de uma forma bem diferente do que os chamados “Baby Boomers”. Tornaram-se cada vez mais exigentes graças às inúmeras possibilidades à sua disposição. E precisam de cada vez melhor conteúdo em formatos mais flexíveis, informação cada vez mais rápida e meios de comunicação adaptados a esta nova realidade. Um excelente exemplo disto é o Netflix, uma plataforma ‘on-demand’ que criou conteúdo de melhor qualidade e em formatos suficientemente curtos que se adaptam a esta geração com muito pouco tempo disponível.

O formato de transmissão de notícias também tem de se adaptar a esta nova realidade de imediatismo exigido pelas novas gerações, gerações que não têm tempo para se sentarem e lerem o jornal ou para verem um telejornal completo. Os meios de comunicação têm de migrar também no sentido de incorporarem as redes sociais, bem cientes de que é mais fácil aceder ao Twitter quando se está num táxi ou à espera numa fila para ficarmos a par do que acontece na Colômbia e no mundo.

De realçar também que um número considerável de líderes de opinião na Colômbia pertence à geração X e Y, tentando chegar aos seus públicos da forma mais eficiente possível, cientes das necessidades dos seus pares geracionais. Estas pessoas mudaram radicalmente a forma como enviam mensagens. Millennials são as pessoas nascidas entre 1984 e 1995 e são um dos principais públicos dos media. Esta geração nasceu na era digital. As suas vidas giram em torno da ideia de imediatismo, tecnologia e conteúdo viral na internet. Isto levou alguns líderes de opinião bem conhecidos a passarem para novos tipos de media de modo a chegarem a um público cada vez mais exigente. E apesar de continuarem a escrever para a imprensa escrita, muitos jornalistas estão agora bem cientes das grandes oportunidades que existem em meios como o YouTube para chegarem às gerações mais novas, algo que se achava que só os Millennials ou YouTubers faziam bem. Muitos influenciadores da geração X e Y decidiram ir mais longe para chegarem junto do seu público tão cobiçado que só consome informação imediata e não distribuída pelos meios tradicionais. Aperceberam-se de que uma emissão de rádio que é ouvida por meia dúzia de pessoas apenas não chega. E optaram por emitir informação em várias plataformas, tais como o Facebook Live. Qualquer pessoa que quiser pode agora ver e ouvir uma emissão em tempo real. Se perder a emissão ao vivo, o programa está também disponível para descarregar ou para ver mais tarde.

O mundo mudou. Os jovens não se deixam surpreender facilmente. São exigentes e esperam cada vez mais. É importante compreender o que esses públicos pedem. Esta geração é está bem familiarizada com o uso de memes e conteúdo gráfico para reportar um evento ou informação de uma forma clara e concisa. É importante criar assim estratégias em torno destes novos formatos em vez de tentar chegar aos mesmos através de uma coluna de opinião num jornal que possivelmente nunca irão ler. Temos de compreender que a única forma de obter resultados diferentes consiste em mudar a forma como fazemos as coisas. Muitas pessoas, meios de comunicação e empresas na Colômbia aperceberam-se que pensar fora da caixa, adotar novas abordagens estratégica e descobrir novas formas de chegar a um público-alvo é crucial para aumentarem a sua visibilidade e para um bom posicionamento.

A comunicação é uma ferramenta humana fundamental, mas a Comunicação estratégica é mais ainda. A Colômbia adaptou e adoptou a comunicação de modo a torná-la parte integrante do seu dia-a-dia. Daqui a poucos anos, senão mesmo meses, falar de comunicação estratégica e desenvolver este tipo de comunicação será um lugar-comum. Vão aparecer novas técnicas, tecnologias e ferramentas; algumas virtuais e outras reais, mas comunicar de forma estratégica fará a diferença para a sua mensagem… Daí o título “Colômbia…uma oportunidade em matéria de Comunicação Estratégica”.

GRUPO ALBIÓN COLOMBIA E CV&A BRASIL, COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA PARA UM MERCADO DE FUTURO

Há quase uma década, as nossas empresas-mãe em Espanha e Portugal decidiram que uma parte do seu futuro conjunto residia no fornecimento de serviços de comunicação altamente sofisticados para os mercados da América Latina. O passo natural consistia em implementar esta medida juntamente com parceiros que somos e continuamos a ser na Europa.

Em São Paulo e Bogotá, mais de 20 profissionais brasileiros e colombianos oferecem serviços a empresas que procuram um parceiro de comunicação em quem confiar, honesto e profissional e que assegure os mais altos padrões possíveis de forma continuada.

A América Latina representa uma grande oportunidade para os nossos clientes europeus dado seu enorme potencial de mercado. A CV&A (Cunha Vaz & Associados) e o Grupo Albión são os parceiros perfeitos para conceberem e implementarem estratégias de comunicação nos mercados americanos de expressão espanhola e portuguesa.

Partilhe este artigo:

Próximo artigoGrupo Albión
- Advertisement -
- Advertisement -

Artigos recentes | Recent articles

Tal&Qual: ponto final, parágrafo…

José Paulo Fernandes Fafe, Antigo jornalista, accionista maioritário da empresa proprietária do "Tal&Qual"

“Sem o esforço dos privados, o Estado Português não teria conseguido fazer frente à pandemia”

Em entrevista à PRÉMIO, José Germano de Sousa, patologista clínico e presidente do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, falou-nos do seu percurso enquanto médico, passando pelo cargo de Bastonário e do crescimento da sua rede de laboratórios, que se posicionam em termos de análises na área da patologia clínica como o principal ‘player’ nacional do sector, sendo actualmente responsáveis por cerca de 15 a 16% dos testes Covid que se realizam em Portugal.

“Honne to Tatemae”

Sónia Ito, Arqueóloga e Professora

Mais na Prémio

More at Prémio

- Advertisement -